• FATIPI FECP

LIVRO DO PROFETA ISAÍAS

Depois dos Salmos, o livro de Isaías é o mais lido dos livros do Antigo Testamento nas Igrejas Cristãs. E há ótimas razões para este fato. É um dos livros mais lindos e profundos da Escritura e foi um dos mais citados pelos autores do Novo Testamento. Além da beleza poética e narrativa do livro (mais percebida ainda quando a gente pode ler o texto na língua original), há um grande número de temas importantes para a fé e a vida cristã. Por exemplo: quem é o Messias e o que ele faz, a justiça social, a vontade de Deus para o culto, como lidar com a opressão interna e a invasão estrangeira, o Servo do Senhor, o Evangelho etc. É um livro tão importante que é preciso vários textos como este para conversarmos sobre ele. Esta é, então, a primeira conversa sobre Isaías.

É um livro bem grande, tem 66 (sessenta e seis) capítulos e nele encontramos a pregação do profeta Isaías, que viveu por volta dos anos 760-700 a.C. e a pregação de vários de seus discípulos, de diferentes gerações. Em um dos relatos de sua missão, Isaías menciona os discípulos: “Ata o testemunho, sela a instrução entre os meus discípulos” (Is 8.16). Em um dos cânticos do “Escravo Oprimido” (ou “Servo do Senhor”), a vocação profética é descrita como a vocação para ser discípulos: “YHWH, nosso Deus, me deu língua de discípulo para que eu possa sustentar com uma palavra o que está cansado; Ele me desperta todas as manhãs, abre os meus ouvidos para que eu aprenda como um discípulo” (Is 50.4). Podemos, assim, chamar o livro de Isaías como o ‘livro do discipulado’ do Antigo Testamento.

Vamos conversar um pouco mais sobre o discipulado do profeta Isaías. Em seu comentário ao livro de Isaías, Calvino fez a seguinte afirmação sobre 8.16: “O Senhor, agora, volta a sua fala para o próprio profeta e o encoraja, pois ele devia enfrentar apóstatas e rebeldes, para que desempenhasse seu ministério com coragem e perseverança. Isto era muito necessário, pois Isaías teve de lidar com a grande teimosia do povo”. Ser profeta não é fácil! A profecia é necessária nos momentos em que o povo de Deus não está sendo fiel ao Senhor e precisa de repreensão e encorajamento para voltar ao caminho da fidelidade.

Uma situação semelhante é encontrada em Is 50.4-11, um dos cânticos do “Escravo Oprimido” (de novo? Por que “Escravo Oprimido”? Vou responder essa pergunta em outra coluna – vamos deixar um pouco de suspense no ar). Neste cântico, o “Escravo” agradece a Deus por ter lhe dado a vocação de discípulo e a coragem para ser discípulo fiel ao Senhor. No contexto em que ele vivia, com o povo de Deus desanimado e disposto a praticar a idolatria, o mensageiro de Deus corria perigo, pois podia ser preso como subversivo e até mesmo executado como um desobediente ao rei.

Ser discípulo. Não se trata de ser “aluno” ou “aluna” – muito longe disso. Ser discípulo é ser uma pessoa que pratica a vontade de Deus e se dispõe a viver toda a sua vida para a glória de Deus. Para ser discípulo não é necessário ter cargos na igreja ou assumir uma vocação para os ministérios ordenados. Todas e todos os cristãos são chamados para o discipulado (Mt 28.16-20 e todos nós podemos entregar toda a nossa vida para a glória do Senhor – seja qual for a nossa profissão, a nossa situação social, a nossa idade etc. Ser discípulo é aprender a ser fiel a Deus e seu projeto para a salvação de toda a criação. Se você quer crescer no discipulado, a leitura de Isaías certamente será de grande ajuda. Mas se você quer apenas passar o tempo na igreja, não se ocupe com Isaías, pois é um livro desafiador.

Bem, vamos mudar um pouco de assunto. Estávamos falando de discipulado e eu quero lembrar uma afirmação que fiz antes: “o livro de Isaías nos oferece a pregação de Isaías e de várias gerações de seus discípulos”. Veja que interessante: a primeira parte do livro (caps. 1-39) é, quase toda ela, pregação do Isaías que viveu em Jerusalém no VIII século a.C. A segunda parte (caps. 40-55) é retrato da pregação de um ou mais discípulos do profeta, que viveram no século VI a.C., por volta dos anos 550-530 a.C. (mais ou menos duzentos anos depois do ministério de Isaías). A terceira parte do livro (caps. 56-66) é fruto da pregação de um ou vários discípulos que viveram após a volta de parte dos judeus exilados para Jerusalém, mais ou menos nos anos 515-500 a.C. (é a mesma época de Ageu e Zacarias).

Se você está acostumado a ler textos mais técnicos sobre a Bíblia, irá encontrar os seguintes nomes: Isaías (1-39), Dêutero-Isaías (Segundo-Isaías 40-55) e Trito-Isaías (Terceiro-Isaías 56-66). Pode usar esses nomes se quiser, ou, então, pode usar algo mais ‘familiar’, do tipo: Isaías, Isaías Filho e Isaías Junior, é sua escolha. Qual é a importância de saber isto? Para entender bem a pregação profética é importante levarmos em consideração a época em que o profeta está pregando, pois a mensagem profética não é adivinhação do futuro, mas exortação para ser fiel a Deus no ‘presente’ de quem ouve a mensagem.

Em nossas conversas sobre Isaías, vamos começar com os grandes temas da pregação do Isaías que viveu em Jerusalém no VIII século a.C., cuja vocação é narrada em Isaías 6. Depois, vamos cuidar das outras partes do livro.

Uma última palavra. Quem organizou o livro de Isaías foi muito inteligente. Você pode perceber certa unidade no livro, apesar da grande diversidade de temas. O principal fio que dá unidade aos 66 capítulos é a cidade de Jerusalém, que é tema de várias profecias nas três partes do livro. Outro grande tema presente nas três partes é o tema da justiça, enquanto a ação de Deus que liberta seu povo da opressão política, econômica, cultural e religiosa. Por fim, o terceiro fio temático do livro é o caráter de Deus, o Deus Santo e Libertador de seu povo.

Vamos terminar nossa conversa por hoje. Deixo para vocês dois convites. O primeiro: leia o livro de Isaías todo, quem sabe, anotando as passagens onde justiça, Jerusalém e a santidade de Deus aparecem. O segundo: medite sobre a sua vocação como discípulo ou discípula do Senhor Jesus. Sua vida cotidiana, em casa, escola, trabalho ou lazer, é vivida para a glória de Deus? Que você pode fazer para ser mais fiel ao Senhor? Aprenda com Isaías a ter ouvidos de aprendiz do Senhor: ore e medite mais ainda, sem palavras, apenas ouvindo ao Senhor.


Dr. Júlio Paulo T. M. Zabatiero

Coordenador da Pós-graduação da FATIPI

0 visualização

FATIPI - Faculdade de Teologia de São Paulo

Rua Genebra , 180 - Bela Vista

  • Instagram
  • Facebook
  • Grey YouTube Icon