top of page
  • comunicacao2794

A VERDADE QUE LIBERTA

Siddhartha Gautama, o primeiro Buda, mestre religioso e fundador do budismo no século VI antes de Cristo, já no final de sua vida disse: “Passei a vida inteira procurando a verdade e não a encontrei”.

Muitas pessoas procuram a verdade e não a encontram. Mas, o que é a verdade?

É uma pergunta que todos fazem, independente de sexo, raça, cultura e civilização. A ela dedicam suas vidas os sábios, os heróis e os santos. Mas, a pergunta persiste: O que é a verdade?


Para algumas correntes da filosofia, só o conhecimento verdadeiro pode servir às necessidades práticas e existenciais dos seres humanos. Mas, não falam de uma verdade, mas de várias verdades, porque para a filosofia a verdade é relativa, nunca dogmática, absoluta, ou seja, o que é verdade para mim, pode não ser para outra pessoa. Portanto, o que existe é sempre a busca da verdade. Assim, quanto mais verdades sabemos, mas livres somos.


Para os cristãos e cristãs, a verdade é uma só. Nossa verdade é encarnacional. Ela tem nome, carne e osso. Não é um conceito ou ideologia. Ela é Jesus de Nazaré! Na época de Jesus, os líderes religiosos não compreendiam a verdade, estavam tão contaminados com a religiosidade que não conseguiam enxergar a verdade. Assim, como nos dias de hoje, muitos estão em busca da verdade e não a encontram. Nesse sentido, podemos dizer que existem 3 tipos de pessoas, nos quais os crentes estão inseridos:


1) OS QUE BUSCAM A VERDADE - Toda insatisfação gera nas pessoas pelo menos dois tipos de reação: Há aqueles que estão sempre buscando algo que possa preencher o vazio da existência humana. A insatisfação os empurra nessa busca e por isso, buscam em todo lugar. Nas filosofias, nos vícios, nas religiões, etc., mas, não encontram nada que se parece com a verdade, ou seja, aquilo que possa trazer alegria, satisfação, plenitude. Existem aqueles que já estão frustrados, buscaram e não encontraram. Estão sempre insatisfeitos, descontentes com alguma coisa ou até mesmo com tudo. São aqueles que vivem reclamando de tudo. Estão sempre em busca de algo que possa ser a sua verdade, pois estão em busca de algo que possa preencher o vazio da vida. Na igreja tem gente assim. Estão sempre reclamando de alguma coisa. Só vem defeitos, estão sempre criticando. Procuram de igreja em igreja uma verdade que satisfaça sua necessidade. Estão sempre buscando a verdade.


2) OS DONOS DA VERDADE - São aqueles que a sua palavra é lei. Na igreja, as coisas tem que ser do seu jeito. Tudo e até Deus tem que ser a sua imagem e semelhança. Geralmente são pessoas que tem medo do novo, pois o novo mexe com as bases que estão estabelecidas. Assim era a igreja da época de Jesus. Viviam com suas verdades estabelecidas. Por isso, quando Jesus falava e agia de uma forma diferente do que acreditavam, eles tremiam e já o rotulavam como herege, blasfemo ou coisas piores. A verdade de Jesus nos incomoda, porque vem de um jeito que não concordamos. Jesus sempre choca os donos da verdade, por isso, resistem ao chamado de Jesus, pois ele não se encaixa na verdade estabelecida por eles.


3) OS QUE RECEBEM A VERDADE - Entre os frustrados e os donos da verdade, graças a Deus existem os que se renderam a verdade. São aqueles/as salvos e transformados pelo sangue de Jesus. São aqueles/as que compreendem o que Jesus disse em João 14,6 - “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém pode chegar até o Pai a não ser por mim.” Jesus sempre se colocou como a única verdade. Uma verdade que ninguém pode reter, engessar, tomar posse. Jesus é a verdade que está livre das ideologias, dos partidos, das teologias. Ele é a verdade que liberta(João 8,32). Por isso, não existe salvação em outra pessoa, outro lugar, só em Jesus. Aqueles/as que receberam a Jesus como salvador e o tornaram senhor de suas vidas são diferentes. Suas vidas ganharam sabor, sentido, alegria, paz, desejo de viver, apesar das lutas. Na igreja, são aqueles/as que não ficam procurando defeitos, mas se colocam a disposição para servir. Buscam sempre conhecer e fazer a vontade de Deus, pois creram naquilo que Jesus disse: - “Então Jesus disse para os que creram nele: - Se vocês continuarem a obedecer aos meus ensinamentos, serão, de fato, meus discípulos e conhecerão a verdade, e a verdade os libertará.” (João 8,31-32).


Por isso entendem que sem Jesus, não há vida verdadeira. Sabem que ainda são pecadores/as, mas encontraram em Jesus a libertação do pecado. Não estão mais presos ao pecado, aos dogmas, as ideologias, aos conceitos, as regras humanas e religiosas. Pois em Cristo, somos livres. É o que Paulo diz em Gálatas 5,1 - “Cristo nos libertou para que nós sejamos realmente livres. Por isso, continuem firmes como pessoas livres e não se tornem escravos novamente.”


Essa é a verdade que liberta: Jesus Cristo de Nazaré, o filho de Deus, que nasceu, viveu, morreu e ressuscitou por amor a você e a mim! 


Há uma ilustração chamada “Um pedaço da verdade” que conta assim: “Alguns demônios vigiavam de perto um homem de boas intenções quando, de repente, ele se abaixou para pegar algo no chão. Aflitos, os demônios perguntavam entre si: - O que ele encontrou, o que ele encontrou? - Um pedaço da verdade, respondeu um deles. Quase todos eles ficaram muito preocupados: – O que faremos, o que faremos? O mais experiente deles, porém, procurava acalmá-los: – Não faremos nada. Fiquem calmos, não há com o que se preocupar. – Como não? Afinal, ele achou um pedaço da verdade. – Não há com o que se preocupar, repetiu o demônio, vocês ainda não sabem que um homem de boas intenções e apenas um pedaço da verdade pode fazer? – responderam: Não!? O maioral dos demônios disse – O de sempre, respondeu ele: uma nova heresia”.


Não vivamos de migalhas ou partes da verdade. Os que vivem na busca da verdade, serão frustrados! Os que se acham donos da verdade, serão condenados! Mas, os que se renderam a verdade(Jesus), serão salvos e seus pecados perdoados e serão verdadeiramente livres!

 

Rev. Marcos Nunes da Silva

Professor e diretor da FATIPI

Pastor da IPI de Vila Carrão

 

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Renovando nosso ardor missionário

A Igreja Presbiteriana Independente do Brasil teve origem na defesa do ardor missionário para atender às demandas da sociedade brasileira. Nossos pioneiros, liderados pelo Rev. Eduardo Carlos Pereira,

DESAFIOS ÉTICOS E TEOLÓGICOS DAS NOVAS TICs

Somos uma sociedade tecnológica. O avanço das novas TICs é bem vinda e traz consigo muitas oportunidades e vários desafios éticos e teológicos para a igreja. Tecnologias da informação e comunicação (T

Comments


Logo Faculdade de Teologia de São Paulo da Igreja Presbiteriana independente do Brasil
Teologia na FATIPI: mais que estudo, crescimento e vida com Deus.
bottom of page